Pular para o conteúdo principal

Nelson Teich foi colocado no lugar de Luiz Henrique Mandetta para fazer diferente. Se fosse para defender isolamento social e responsabilidade no front de batalha contra o coronavírus, Jair Bolsonaro não teria trocado a tripulação do Ministério da Saúde em plena viagem ao precipício. Com quase um mês no cargo, Teich, como especialista em saúde, não se desviou do caminho de Mandetta. Sob seu comando, o governo assistiu ao agravamento da pandemia, com a disparada de mortes diárias e a confirmação do fracasso na operação de compra de respiradores no mercado internacional. As falhas no trabalho da Saúde deveriam cair na conta de Mandetta e Bolsonaro, que não tiveram a capacidade de trabalhar em conjunto para encontrar respiradores no mercado internacional. Mais do presidente do que do ministro da Saúde, é claro, porque o Planalto teria força para atuar na linha de frente, se não tivesse perdido tempo provocando a China, principal mercado de insumos de saúde na pandemia. Teich chegou com os erros já cometidos. Seus efeitos foram sentidos, no entanto, na sua gestão e a ele coube o sacrifício de anunciar que o país teria de se virar para produzir os respiradores que fazem tanta falta e que não chegarão na velocidade necessária.Saiba logo no início da manhã as notícias mais importantes sobre a pandemia do coronavirus e seus desdobramentos. Inscreva-se aqui para receber a nossa newsletter O movimento escancarou o papel de bode expiatório de Teich. Todo o sucesso colhido por ele será abraçado pelos militares e por Bolsonaro, que tomaram conta da pasta. Todo o fracasso das decisões, no entanto, será atribuído a Teich

A imagem pode conter: 1 pessoaGULFNOTICIAS JCNEWS: Bolsonaro começa a fazer com Teich o que fez com Mandetta 


Nelson Teich foi colocado no lugar de Luiz Henrique Mandetta para fazer diferente. Se fosse para defender isolamento social e responsabilidade no front de batalha contra o coronavírus, Jair Bolsonaro não teria trocado a tripulação do Ministério da Saúde em plena viagem ao precipício.

Com quase um mês no cargo, Teich, como especialista em saúde, não se desviou do caminho de Mandetta. Sob seu comando, o governo assistiu ao agravamento da pandemia, com a disparada de mortes diárias e a confirmação do fracasso na operação de compra de respiradores no mercado internacional.

As falhas no trabalho da Saúde deveriam cair na conta de Mandetta e Bolsonaro, que não tiveram a capacidade de trabalhar em conjunto para encontrar respiradores no mercado internacional. Mais do presidente do que do ministro da Saúde, é claro, porque o Planalto teria força para atuar na linha de frente, se não tivesse perdido tempo provocando a China, principal mercado de insumos de saúde na pandemia.

Teich chegou com os erros já cometidos. Seus efeitos foram sentidos, no entanto, na sua gestão e a ele coube o sacrifício de anunciar que o país teria de se virar para produzir os respiradores que fazem tanta falta e que não chegarão na velocidade necessária.Saiba logo no início da manhã as notícias mais importantes sobre a pandemia do coronavirus e seus desdobramentos. Inscreva-se aqui para receber a nossa newsletter
O movimento escancarou o papel de bode expiatório de Teich. Todo o sucesso colhido por ele será abraçado pelos militares e por Bolsonaro, que tomaram conta da pasta. Todo o fracasso das decisões, no entanto, será atribuído a Teich

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

GULFNOTICIAS JCNEWS ; IGREJA UNIVERSAL ABRE O JOGO E REVELA SOBRE SAÍDA DO BISPO FORMIGONI

Igreja Universal (IURD) abre o jogo sobre o bispo Formigoni e abala mundo gospel. A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), resolveu abrir o jogo sobre o bispo Formigoni, depois que o ex-pastor da instituição Alfredo Paulo, contou sobre a expulsão de um dos braços fortes de Edir Macedo.
Numa reunião que aconteceu na última quinta-feira, com pastores, Renato Cardoso genro de Edir Macedo e lider de confiança da IURD falou a versão dele do que aconteceu com o bispo Formigoni e porque ele não é mais bispo. Renato explicou que o Formigo procurou a esposa, assumindo que havia tinha tido uma conduta inconveniente com trocas de mensagem com outra mulher. Ainda afirmou que teve acesso a essas mensagens, e por isso ficou comprovado que ele foi desonroso e que faltou respeito com a própria esposa, com a igreja e principalmente com Deus. A IGREJA A UNIVERSAL LAMENTOU O FATO, MAS DE ACORDO COM RENATO CARDOSO, NÃO TINHA COMO MANTER FORMIGONI COMO BISPO, APESAR DE NÃO TER TIDO CONTATO FÍSICO, APEN…

GULFNOTÍCIA : DEP. TIA ERON E BISPO BRUNO LEONARDO

Estive hoje com o querido Bispo Bruno Leonardo Cerqueira. Grande homem de Deus! Bispo da Igreja Batista Avivamento Mundial.

Kamyla Simioni posta foto da irmã ao lado de cantor e provoca

A empresária Kamyla Simioni, que ficou famosa após divulgar que teve um caso com o cantor Tony Salles, marido da apresentadora da Record Bahia,  Scheila Carvalho, ataca mais uma vez. A morena compartilhou uma imagem na qual a irmã dela, Yamani Simioni, aparece ao lado do cantor Victor, que faz dupla sertaneja com Léo e que se separou há alguns meses da assistente de palco do Faustão. “Eu juro q eu não vou contar nada, eu sei guardar segredo kkkkkkkk (sic)”, publicou em seu perfil no Instagram. Recentemente, Kamyla viveu um affair com o zagueiro do Vitória, Victor Ramos, mas não demorou muito para dispensar o atleta.