Pular para o conteúdo principal

GULFNOTICIA Cúpula do PT recua e exclui autocrítica de texto sobre novos rumos do partido

[Cúpula do PT recua e exclui autocrítica de texto sobre novos rumos do partido]Depois de dois dias de reunião em Brasília, o comando do PT decidiu deixar excluir as autocríticas de um texto que servirá de base para os rumos da legenda. 
"Não tem autocrítica no texto. O PT faz autocrítica na prática. O PT fez financiamento público de campanha, o PT está reorganizando as bases, o PT está com movimento social. Nós não faremos autocrítica para a mídia e não faremos autocrítica para a direita do país", afirmou a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, no encerramento de um encontro de dirigentes partidários em Brasília.  Uma versão inicial do texto trazia críticas ao governo da ex-presidente Dilma Rousseff e apontava erros de Fernando Haddad durante a corrida presidencial, da qual saiu derrotado para Jair Bolsonaro (PSL).  O comando do PT se reuniu pelo segundo dia seguido na manhã deste sábado (1º), encontro no qual aprovou uma versão de texto que fala sucintamente em 'equívocos' dos governos petistas dirigindo, na verdade, as críticas à imprensa, ao judiciário e à elite.
O documento adotou ainda um tom elogioso a Haddad, apontando que ele deve ser o próximo líder do partido. "Finalmente, é imprescindível ressaltar nesse balanço que o companheiro Fernando Haddad se projeta como uma nova liderança nacional do partido. Defendeu o legado do PT, ao mesmo tempo em que simbolizou aspectos de renovação política e social de que o PT é capaz, logrando conjuntamente com a militância democrática, da esquerda e do partido chegar ao final do segundo turno com 47 milhões de votos. É com este saldo político que Fernando Haddad poderá cumprir destacado papel frente aos novos e complexos desafios da conjuntura", diz o texto aprovado neste sábado, que ainda passará por alguns ajustes. Geralmente, um texto base é elaborado por um grupo do comando petista e distribuído para os integrantes do Diretório Nacional da legenda às vésperas da reunião, para que os grupos possam sugerir alterações até o dia do encontro.
Desta vez, porém, a versão preliminar do documento, que trazia críticas à política econômica do segundo de Dilma, causou incômodo em integrantes da sigla --e a própria ex-presidente precisou fazer uma defesa pública de sua gestão.  Foi elaborada ainda uma nova versão, aprovada neste sábado (1º) e na qual o PT manteve o discurso de que a prisão do ex-presidente Lula foi responsável por viabilizar a vitória de Bolsonaro. Ao deixar o encontro, Gleisi disse que o partido adotará postura de oposição firme ao futuro governo. "Nós não vamos compactuar com medidas que tirem direitos dos trabalhadores, como a reforma da Previdência, não vamos compactuar com a privatização do Estado brasileiro, não vamos compactuar com a violência contra as minorias", afirmou.
Ela repetiu ainda que o PT é alvo de ataques "sistemáticos" por parte do Judiciário e criticou a atuação da Procuradoria-Geral da República. A senadora classificou como ilegal o pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República) de que o dinheiro utilizado por Lula na campanha seja devolvido. "Isso é ilegal, não tem base legal. O presidente Lula foi candidato registrado. Aliás, a sua candidatura foi defendida até pela ONU. Então não tem base legal para a PGR dizer que é uma candidatura natimorta ou que é ilegal. A PGR deveria se envergonhar de estar pedindo auxílio-moradia, isso sim. Em vez de estar fazendo proselitismo político", disse. 
Dodge recorreu ao STF (Supremo Tribunal Federal), na sexta-feira (30), para evitar que a derrubada do auxílio-moradia alcance os integrantes do Ministério Público.  Na segunda-feira (26) o ministro Luiz Fux revogou decisões liminares de 2014 nas quais havia concedido auxílio-moradia de R$ 4.377 a membros da magistratura. Com a reconsideração, todos deixarão de ganhar o benefício.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOTICIAGULF Ministério Público da Bahia abre novo inquérito para apurar supostas irregularidades praticadas por Márcio Paiva, ex-prefeito de Lauro de Freitas

O Ministério Público estadual (MP) abriu inquérito para apurar supostas irregularidades praticadas pelo ex-prefeito de Lauro de Freitas Márcio Paiva (PP) na contratação de uma empresa em 2014. Paiva, que deixou o comando da cidade em 2016, firmou contrato com a Consiga Assessoria e Consultoria Ltda por inexibilidade. Contudo, há indícios de fraudes no processo. Em 2014, o ex-prefeito teve as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios justamente por contratações irregulares.

Reincidente A mesma empresa foi contratada, em 2013 e 2014, pelo então prefeito de Candeias Sargento Francisco por inexibilidade, processo também investigado pelo MP desde o ano passado.


Fonte: Coluna Satélite do Correio da Bahia 
Postado por Noticiagulf

GULFNOTICIA : Moema tem uma história de luta pela vida e jamais de comprar o silêncio , principalmente de quem sofre

Uma fatalidade antecipou a passarem da pequena Lara aqui nesta terra de lobos em pele de cordeiro .

Deus a levou e com certeza está na parte de onde os anjinhos são acolhidos .
Uma mãe que perde um filho se desespera e diz coisas inacreditáveis , não age com a razão , mas com a forte emoção da perda de quem esteve em seu ventre por nove meses , de quem amamentou , trocou as fraldas e sonhou o tempo todo com uma vida longa pra seu bebê , a mãe de Lara pode tudo .
Não devia é um site que se diz sério , de informação , ouvir uma mãe machucada , ferida na alma e o pior postar algo sobre a Mulher , a Política que nos seus quase 5O anos de Militância , sempre lutou e defendeu a vida .
Quando Moema liga pra a mãe de Lara , não é pra comprar seu silêncio mesmo porque a Secretária de Saúde já explicou o que levou Lara a Óbito e a perícia dirá com certeza que foi uma Fatalidade e não Imperícia , Negligência dos Profissionais da saúde.
Moema ligou pra a Mãe de Lara porque é mãe ,avó e uma Prefei…

GULFNOTICIA : Inaugurado, Terminal de Ônibus Aeroporto vai receber mais de 100 mil passageiros/dia

Nesta manha (08)na  Terminal  da estação de transbordo do Metro, o líder comunitário Alinaldo Furakão, sendo entrevistado por uma repórter , diz que em nome da sua comunidade de Portão, agradece ao Gov. Rui Costa e a Sra Prefeita Moema Gramacho  e especialmente a Sr. Luis Valença  presidente da CCR-Metrô  que desde outros eventos tem sido muito gentil, para comigo,  e nos transmite uma esperança quanto a " cobrança que está escrito no projeto"  METRO ATÉ  PORTÃO, e finaliza, ficar feliz em ouvir que em breve o Metrô poderá ir ate´ Portão, palavras da prefeita ao nosso amigo  e tbm defensor de Portão o ver, Topó  Parabéns prefeita.