Pular para o conteúdo principal

GULFNOTICIA : PCC recruta pessoas com próteses para colocar celular em presídios

[PCC recruta pessoas com próteses para colocar celular em presídios]Criminosos ligados à facção criminosa PCC criaram, na estrutura da organização, um setor destinado só para buscar formas de bular a fiscalização em presídios, especialmente em São Paulo, e entregar celulares a criminosos confinados.
Entre as estratégias usadas pela facção está o recrutamento de mulheres com algum tipo de prótese ou órtese (como pinos no corpo) e até gestantes que seriam isentas de revistas por equipamentos eletrônicos. Essa estrutura criada pelo PCC é chamada na facção de “Setor do Embrulho”.
A cooptação de pessoas com próteses e órteses foi notada pela Polícia Civil de São Paulo durante a operação Echelon, quando foi interceptada a conversa de um preso de Pacaembu (SP) com uma mulher que seria desse setor.
Na ligação, o homem reclamava da dificuldade da entrada de celulares depois da implantação de escâneres para revistar as visitas. Estava tão complicado, reclamava o preso, que na cela em que estava havia “só quatro telefones”.
A mulher, então, apresenta a solução. Diz ter arrumado uma amiga com “pino e platina” implantados no corpo. Nessas condições, garantia a interlocutora, a visita “não passaria pelo escâner e entraria com o aparelho celular.”
Em outra ligação de criminosos flagrada pela polícia, um homem ensina a uma mulher o serviço dela no setor. Pede para que anote um modo de empacotar um celular capaz de burlar equipamentos.
“Aí vem com a fita 3M em cima, uma camada, lacra com 3M inteirinha, aí depois vem com três carbonos de um lado e três carbonos de outro, no meio do carbono cê joga um pouco de pó de grafite também, entendeu?”, diz ele.
Ela responde: “Calma aí, calma aí, calma aí eu to na parte do Super Bonder ainda, Super Bonder faz uma caixinha, aí passa o quê? A fita 3M?”
De acordo com pessoas ligadas a presos ouvidos pela Folha, a maneira mais utilizada (com certo sucesso) tem sido a contração de grávidas porque, em algumas unidades, não precisam passar pelo escâner.
O relatório da polícia diz que a facção se esforça para colocar celulares na prisão porque há necessidade vital em seu uso. “A comunicação constitui espinha dorsal para a sobrevivência da organização criminosa, controle da massa e perpetração de crimes em série”, diz trecho do documento da operação Echelon.
A operação teve início com apreensão de bilhetes que chefões do PCC presos em Presidente Venceslau tentavam mandar a subordinados.
Os papéis foram dispensados pelos bandidos pela descarga do banheiro, durante as revistas nas celas, sem saber que agentes penitenciários colocaram redes no sistema de esgoto para “pescar”os papéis.
A investigação foi concluída em junho deste ano, e resultou na denúncia pelo Ministério Público de SP contra 75 pessoas em todo o país.
Em cerca de um ano de investigação, os policiais flagraram dezenas de presos usando livremente o celular. Inclusive, conforme a Folha revelou, em unidades com bloqueadores de sinal do aparelho.
Em uma das ligações monitoradas, presos dizem usar microcelulares, do tamanho de um pendrive, que, por serem feitos quase inteiramente de plástico, passam facilmente por detectores de metal. 
Mas há inconvenientes, como eles narram: “Caramba. O telefone de vocês aí é ruim pra caramba,  mano... cê tá falando de que aí? De... De...? aqueles telefoninho igual o meu aqui?”, diz um preso.
Ao que o outro responde: “Lanterninha. Tem um nokiazinho lanterninha que a família me deu aqui, entendeu?”
“Caramba, mano. Tem outro aí não? Não tem nenhum outro aplicativo pra arrumar pra você não, mano?”, questiona o primeiro bandido.
Para combater a entrada desses microcelulares nos presídios paulitas, o governo instalou —desde o ano passado— scanners corporais em quase todas as unidades. 
Em nota, a Secretaria da Administração Penitenciária afirma que até mesmo deficientes físicos são submetidos ao equipamento e qualquer objeto introduzido no corpo é detectado, mesmo que a pessoa tenha pinos de platina pelo corpo.
“A política da pasta é de tolerância zero com relação à entrada de objetos ilícitos, sejam eles celulares, entorpecentes, entre outros, em suas unidades prisionais”, diz a nota.
A pasta afirma que os que são pegos tentando entrar com esses objetos “são automaticamente retiradas do rol de visita e sofrem as medidas penais cabíveis”. 
Agentes públicos também podem ser demitidos e processados criminalmente.
Já quanto as grávidas, o governo diz que elas “podem” ser submetidas aos escâner.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTICIAGULF Ministério Público da Bahia abre novo inquérito para apurar supostas irregularidades praticadas por Márcio Paiva, ex-prefeito de Lauro de Freitas

O Ministério Público estadual (MP) abriu inquérito para apurar supostas irregularidades praticadas pelo ex-prefeito de Lauro de Freitas Márcio Paiva (PP) na contratação de uma empresa em 2014. Paiva, que deixou o comando da cidade em 2016, firmou contrato com a Consiga Assessoria e Consultoria Ltda por inexibilidade. Contudo, há indícios de fraudes no processo. Em 2014, o ex-prefeito teve as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios justamente por contratações irregulares.

Reincidente A mesma empresa foi contratada, em 2013 e 2014, pelo então prefeito de Candeias Sargento Francisco por inexibilidade, processo também investigado pelo MP desde o ano passado.


Fonte: Coluna Satélite do Correio da Bahia 
Postado por Noticiagulf

DOMETILA GARRIDO - 1ª REPÓRTER MULHER DA BAHIA - MORADORA DE LAURO DE FREITAS

Mulher com espírito empreendedor, Dometila Cerqueira Garrido do Val, atualmente com  anos, nascida em 29 de agosto de 1933 num pequeno sobrado no bairro de Roma, destacou-se nas décadas de 60 e 70 pelas diversas atividades executadas.
Formada em Contabilidade pela Faculdade de Ciências Econômicas, exerceu por pouco tempo a sua profissão. Em 1961, ao declamar o poema Vozes D'áfrica de Castro Alvez, foi convidada pelo presidente do sindicato de jornalismo para escrever na redação do Diários Associados, em uma época onde as redações de jornalismos eram compostas exclusivamente por homens, tornando-a a primeira mulher a ocupar um lugar no diário. Segundo Domitila não sofreu nenhum preconceito, pelo contrário, era protegida – “Jehová de Carvalho me protegia”, referindo-se ao colega jornalista. Mas no início precisou impor respeito. “Eu usava um sapato de salto fino com capa-fixa. Quando batia no assoalho fazia muita zoada e batia para não ouvir palavrões. Depois de um ano o palavrão foi…

GULFNOTICIA : Moema tem uma história de luta pela vida e jamais de comprar o silêncio , principalmente de quem sofre

Uma fatalidade antecipou a passarem da pequena Lara aqui nesta terra de lobos em pele de cordeiro .

Deus a levou e com certeza está na parte de onde os anjinhos são acolhidos .
Uma mãe que perde um filho se desespera e diz coisas inacreditáveis , não age com a razão , mas com a forte emoção da perda de quem esteve em seu ventre por nove meses , de quem amamentou , trocou as fraldas e sonhou o tempo todo com uma vida longa pra seu bebê , a mãe de Lara pode tudo .
Não devia é um site que se diz sério , de informação , ouvir uma mãe machucada , ferida na alma e o pior postar algo sobre a Mulher , a Política que nos seus quase 5O anos de Militância , sempre lutou e defendeu a vida .
Quando Moema liga pra a mãe de Lara , não é pra comprar seu silêncio mesmo porque a Secretária de Saúde já explicou o que levou Lara a Óbito e a perícia dirá com certeza que foi uma Fatalidade e não Imperícia , Negligência dos Profissionais da saúde.
Moema ligou pra a Mãe de Lara porque é mãe ,avó e uma Prefei…